sábado, 4 de junho de 2011

Missa do 3° dia da Novena de Santo Antônio - Ewbank da Câmara

MISSA DO 3° DIA DA NOVENA - 6 de junho às 19h


COMENTÁRIO INICIAL

Com.: Com alegria, acolhemos a todos para esta Santa Missa, na qual celebramos o mistério da Ascensão do Senhor. Ao subir aos céus, Jesus nos mostra que estamos a caminho da casa do Pai. Não temos aqui morada permanente. Mas é certo que devemos viver bem aqui neste mundo, fazendo a vontade de Deus, para passarmos para a Casa do Pai com paz e tranquilidade. Continuando a nossa novena do padroeiro Santo Antônio, celebramos o seu 2° dia, cujo tema é “Homem de oração”. Foi porque ele se dedicava à oração que se tornou santo, seguindo os passos de Jesus até o céu. Cantemos para acolher o celebrante e seus auxiliares. 


ANTES DAS LEITURAS

Com.: Ouçamos com atenção a Palavra que hoje Deus nos dirige!


PRECES

(Motivação espontânea pelo celebrante)

Com.: A resposta de nossos pedidos será: Senhor, escutai a nossa prece!

1. Para que o mistério da Ascensão do Senhor recorde à Igreja inteira que a nossa meta é a comunhão com Deus nos céus, rezemos ao Senhor!

R.: Senhor, escutai a nossa prece!
2. Para que o Papa e os bispos tenham força e coragem de anunciar ao mundo de hoje a fé em Jesus Cristo, que morreu ressuscitou e subiu aos céus, rezemos ao Senhor!

3. Para que a nossa fé no Reino dos Céus não nos deixe esquecer que esse Reino já começa aqui na terra quando amamos a Deus e o próximo, rezemos ao Senhor!

4. Para que a vida de oração do nosso padroeiro Santo Antônio leve-nos a ser também homens e mulheres de oração, sedentos de Deus em nossa vida, rezemos ao Senhor!

5. Por todos os jovens de nossa paróquia, para que se sintam interpelados por Cristo e o escolham como Mestre e Guia, no compromisso com a Igreja e com os irmãos, rezemos ao Senhor!



FATO DA VIDA DE SANTO ANTÔNIO

Antigamente muitos iam morar no deserto, conduzidos pelo Espírito Santo. Ou sozinhos ou em grupos, ali viviam entregues à oração, à penitência e à contemplação das coisas de Deus. Moravam em grutas ou ermidas que eles mesmos construíam. Também Frei Antônio sentiu esse impulso. Morou algum tempo no eremitério de Monte Paulo, junto com alguns colegas franciscanos. Foi um tempo de muita pobreza e muita oração. O quartinho em que dormia era uma espécie de gruta ou lapa. Teciam a própria roupa e plantavam para comer. Foi um dos períodos mais felizes da sua vida. Antônio fazia questão de executar os trabalhos mais humildes e mais pesados. Varria o eremitério, lavava os utensílios de cozinha, cuidava da horta, buscava água. Unia a oração com o trabalho. Foi um tempo de paz. Durou pouco esse tempo de paz. Talvez um ano. Como Jesus em Nazaré, foi uma boa preparação para as atividades missionárias que logo estariam começando. Mesmo peregrinando de cidade em cidade, de aldeia em aldeia, mesmo cercado de imensas multidões, Antônio conservou aquele espírito de recolhimento. Vivia falando com Deus na oração, para poder falar de Deus aos homens. No final da vida, cansado da labuta missionária, voltaria à solidão a fim de 
escrever seus livros e meditar sobre as realidades divinas. 

ORAÇÃO

Santo Antônio, amigo de Deus e dos pobres, peço-vos a graça de saber rezar. A oração é o alimento da alma e o caminho que nos leva a Deus. Pela oração nossos problemas, quer sejam materiais ou espirituais, pessoais ou sociais, podem encontrar a luz esperada. É na oração que nossa alma repousa em Deus e cria forças para servi-Lo nos pobres. Santo Antônio, alcançai-me a graça de saber rezar. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário