quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

É rico o Vaticano?

Padre Elílio de Faria Matos Júnior

Certa vez, um amigo me perguntou o que se deveria responder àqueles que censuram a S. Igreja de ser muito rica, de modo especial o Vaticano. Eis um esboço de resposta:

O Vaticano não é rico. Frequentemente as contas fecham no vermelho. O dinheiro que chega ao Papa é, em grande parte, proveniente de doações.

Outra coisa são as obras de arte que estão em posse da Igreja no Vaticano, como os edifícios/arquitetura, estátuas, pinturas.... Essas tem um valor inestimável. Nem se pode calcular. Tais obras foram se acumulando ao longo da história da Igreja e hoje o Papa não pode se desfazer delas, nem seria desejável. Trata-se de bens culturais, que foram até proclamados "Patrimônio Comum da Humanidade".

A arte que vemos nas posses da Igreja pelo mundo inteiro é um modo que o espírito e a religiosidade de nossos antepassados encontraram de louvar a Deus. Hoje se louva o dinheiro e o consumo desenfreado. Quais são hoje os mais belos prédios de uma cidade? Os bancos e os shopping centers, o que mostra muito bem para onde o espírito do homem sem Deus está voltado em primeiro lugar: Mammona, dinheiro.

Eu, sinceramente, preferiria que ainda fossem as igrejas os prédios mais belos. As nossas igrejas são casas comuns, casas de fraternidade, casas da família de Deus na Terra, onde entram os ricos e os pobres, onde nos tornamos iguais em dignidade e comemos do mesmo Pão. A beleza das igrejas é a beleza dos pobres, sobretudo deles, que muitas vezes não podem entrar nos bancos ou nos shoppings.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Homenagem a Santo Tomás

Santo Tomás de Aquino! Como esquecer esse santo e sábio italiano? Desde minha adolescência, quando tive meus primeiros contatos com sua obra, não pude deixar de admirá-lo. Cresceu entre nós uma verdadeira simpatia, um sentimento de conaturalidade. Lia seus escritos sobre as relações entre fé e razão e não podia não ficar estupefato. Sim, a estupefação é o motor da pesquisa e do estudo. Suas palavras, de algum modo, diziam claramente o que para mim era uma certeza, mas ainda envolta nas nuvens de uma intuição vivida, à procura de inteligência e clareza. Homenagem a Santo Tomás no seu dia - 28 d janeiro!

Fé e razão andam juntas

Quando o então Cardeal Ratzinger teve um colóquio acadêmico com o filósofo J. Habermas em 2004, ele sustentou que o conúbio entre fé e razão é sempre necessário. O Cristianismo se entende como uma religião que fez opção pela razão, e isso desde as suas origens. A razão é importante para impedir que a fé avance pelas vias do fundamentalismo e do exclusivismo, como se não houvesse nada de positivo fora de seu âmbito de irradiação. A fé, por sua vez, é importante para não deixar a razão se instrumentalizar por interesses ideológicos ou pessoais, proporcionando-lhe o direcionamento do olhar para o Bem infinito. Um exemplo de uma razão desviada é aquele vivido no século XX, com as duas Grandes Guerras. É também aquele do "capitalismo selvagem" e dos totalitarismos. Adorno e Horkheimer bem viram que o progresso alcançado pela razão foi também um progresso para o pior, da funda à bomba atômica. Fé e razão, mantendo-se na distinção, devem abrir-se uma à outra para que cada qual seja cada vez mais o que deve ser, sem desvios. Por vezes, ambas precisam de purificação.

São Roque (resumo da vida)

São Roque viveu no século XIV. Aos 20 anos, órfão de pai e mãe, os quais lhe haviam deixado uma grande fortuna em herança, decide doar seus bens e fazer-se peregrino rumo a Roma. No caminho, encontra inúmeros contagiados pela Peste Negra, aos quais presta assistência. Em Roma, reza todos os dias sobre o túmulo de São Pedro. De volta à cidade natal, Montpellier, depois de ter curado milagrosamente várias pessoas infectadas, acaba contraindo a doença e retira-se em uma floresta, aonde um cão lhe levava alimento. Curado, chega a Montpellier, mas, não reconhecido, é detido e preso, suspeito de espionagem. Sua família fora governante da cidade. Morre no cárcere, resignado e entregue totalmente a Deus. Sua festa é celebrada no dia 16 de agosto.