sábado, 8 de agosto de 2015

Pingos de filosofia - Platão

Por que Platão teve que recorrer a um outro mundo, o mundo das ideias puras? Fundamentalmente porque reconheceu que havia uma assimetria (disparidade) entre as nossas ideias e as coisas do mundo sensível. Pensamos na beleza perfeita, mas no mundo só existem belezas relativas. E a justiça perfeita? Ela só existe na nossa cabeça. Mas de onde vêm essas ideias perfeitas? Será que as formamos a partir das coisas imperfeitas? O perfeito viria do imperfeito? Platão achava o contrário. Para ele o originário não era o imperfeito, mas o perfeito. Então, assim como o perfeito não existia no mundo dos nossos sentidos, Platão se viu na necessidade de admitir a existência de um mundo de perfeições, distinto e separado do nosso, para explicar as ideias que temos de coisas perfeitas. A causa da ideia perfeita em nós só podia ser a ideia perfeita existente fora de nós num mundo diverso do nosso. O "mais" (nossa ideia de perfeição) não podia ser explicado pelo "menos" (coisas imperfeitas do nosso mundo), mas pelo "Máximo" (mundo perfeito existente e distinto do mundo sensível).

Nenhum comentário:

Postar um comentário