sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Papa à Congregação para a Doutrina da Fé

.
Papa espera a união com a FSSPX e agradece a congregação pelo trabalho com os anglicanos 
(Tradução do inglês: Padre Elílio)

Cidade do Vaticano, 15 jan. 2010 / 11h41 (CNA). Em um discurso aos membros da Assembleia Plenária da Congregação para a Doutrina da Fé, nesta tarde de sexta-feira, o Papa Bento XVI falou da unidade que deseja ver na Igreja católica. Ele expressou a esperança de uma “plena comunhão” com a Fraternidade Sacerdotal São Pio X (FSSPX) e da adesão de anglicanos “à verdade recebida de Cristo”.

“A unidade é primeira e principalmente a unidade da fé, transmitida pela sagrada tradição, cujo primeiro guardião e defensor é o sucessor de Pedro”, disse o Papa ao presidente do dicastério, O cardeal Willian Levada, e aos demais membros presentes.

“O Bispo de Roma, com a participação da Congregação, deve sempre proclamar 'Dominus Iesus' – Jesus é o Senhor”, disse o Papa Bento, que explicou que isso deve ser feito para que a Verdade que é Cristo continue a brilhar com toda a sua grandeza e ressoar, íntegra e puramente, para todos os homens, de modo que possa haver um só rebanho ao redor de um só Pastor”.

Assim, ele acrescentou, o objetivo de um “testemunho comum de fé de todos os cristãos constitui a prioridade da Igreja em todos os períodos da história, a fim de guiar todos os homens para Deus”.

“Nesse espírito, eu confio particularmente no desempenho de vosso dicastério para superar os problemas doutrinais que ainda persistem, em vista de alcançar a plena comunhão da FSSPX com a Igreja”.

O Papa também dirigiu palavras de agradecimento aos membros do dicastério pelo seu incansável trabalho em prol da “plena integração de grupos e de fieis individuais dantes anglicanos na vida da Igreja católica”.

O Papa ajuntou que “a adesão fiel desses grupos à verdade recebida de Cristo e apresentada pelo Magistério da Igreja não é, de maneira alguma, contrária ao movimento ecumênico; revela antes seu último escopo, que consiste em alcançar a plena e visível comunhão dos discípulos do Senhor” (grifos do tradutor).

4 comentários:

  1. Boa Noite Pe. Elílio!!
    Acho que o Ecumenismo hoje é muito mal entendido. Em que consiste o ecumenismo? O Papa Bento XVI no texto acima ensina que: “a adesão fiel desses grupos à verdade recebida de Cristo e apresentada pelo Magistério da Igreja não é, de maneira alguma, contrária ao movimento ecumênico; revela antes seu último escopo, que consiste em alcançar a plena e visível comunhão dos discípulos do Senhor” Eu entendo o ecumenismo dessa forma trabalhar para que os "irmãos separados" voltem para a única Igreja de Jesus Cristo. Pois o indiferentismo religioso a liberdade de religião foram condenadas pelo Papa Leão XIII e Pio XI. Essas condenações não foram e nunca poderão ser anuladas pelo Magistério da Igreja. E mais: o Papa Pio IX na Sillabus condenou a tese de que qualquer religião salva. Dessa forma nada mais correto e cristão do que trabalharmos para que nossos irmãos separados voltem para o rebanho que Nosso Senhor confiou ao Glorioso Apóstolo Pedro e seus legítimos sucessores para que aja um só rebanho, uma só fé e um só pastor como Jesus deseja. Viva o Papa!

    ResponderExcluir
  2. Christiano,
    O verdadeiro ecumenismo supõe uma "paixão" autêntica pela verdade. O indiferentismo só pode atrapalhar, já que nada se constroi senão pela verdade.

    ResponderExcluir
  3. Padre Elílio, parabéns pelo blog. Precisamos de mais sacerdotes que ensinem a verdade da doutrina católica tendo menor preocupação em serem politicamente corretos, mas que tenham como prioridadea a fidelidade aos ensinamentos de sempre da Santa Igreja, coluna e sustentáculo da verdade.Viva o Papa!!

    ResponderExcluir
  4. Prezado Welerson,
    Obrigado pelas palavras. Que a defesa da fé católica, na qual devemos viver e morrer, seja nossa honra.

    ResponderExcluir