terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Ideologia laicista no Brasil?




Padre Elílio de Faria Matos Júnior
.
O anunciado "Plano Nacional de Direitos Humanos" tem como objetivo, entre outras coisas que merecem revisão, “desenvolver mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos da União”. Trata-se de um gesto de afronta às raízes históricas e culturais do Brasil, que nasceu e cresceu sob o signo da fé cristã e católica. É uma negação das raízes da nossa identidade brasileira.

Esse princípio intolerante do tal plano do governo abre precedentes perigosos, que poderão levar, no futuro, à proibição de símbolos religiosos em qualquer estabelecimento público, como nas casas comerciais, bem como proibir as pessoas que tratam com o público de usar símbolos que expressam sua fé. Será que os monumentos e praças públicas também um dia terão de ser destruídos por trazerem símbolos da fé que forjou a identidade brasileira?

O Estado, mesmo sendo laico, não pode se submeter a uma ideologia laicista. Não nos esqueçamos de que o laicismo é também uma religião, a religião do antropocentrismo moderno. É ingenuidade pensar que o laicismo seja neutro. Confira aqui um artigo esclarecedor sobre a ideologia laicista.

No vídeo acima, o Papa Bento XVI condena a visão distorcida da laicidade do Estado. Não podemos nos calar, pois que, se uma minoria impuser, ainda que aos poucos, sua ideologia laicista sobre a maioria religiosa, graves serão as consequências para todos nós brasileiros, que temos uma história e acreditamos em Deus.

6 comentários:

  1. Prezado padre Elílio, é lamentável que essa ideologia venha a mostrar sua face em nosso país. Em breve os símbolos religiosos começarão a ser perseguidos, junto com as pessoas que defendam o direito de usá-los. Laicismo é ateísmo.

    ResponderExcluir
  2. Sim, caro Hilton, laicismo é ateísmo. E ateia e materialista é a sustentação da ideologia que parece dominar muitas mentes do governo.

    ResponderExcluir
  3. Padre, sou professor de filosofia na rede pública do Estado de São Paulo. É impressionante como os programas educacionais (o material didático) é anti-catolicismo (cristianismo). Não é por menos que muitos alunos acabm por nutrir verdadeiro ódio a tudo o se refere a Igreja e religião. Dê uma confirida em meu blog, pois tento rebater essa postura que afirma a Igreja ser inimiga da cultura e razão. www.luminavirtutum.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Caro Hilton,
    Uma das coisas que mais me preocupam é o laicismo na educação. Trata-se de uma ideologia a que os educadores e, por meio deles, os alunos se submetem docilmente. O resultado está por toda a parte; a decadência da nossa civilização pode ser reconhecida por quem quer que seja.
    Parabéns pelo blog. Lutemos juntos!

    ResponderExcluir
  5. Valdivino José Alves31 de janeiro de 2010 23:26

    Pe. Elilio,
    Já passei por um problema semelhante na empresa em que trabalho (Caixa Econômica Federal), onde um gerente da igreja cristã maranatah, após a reforma da agência deu os dois Crucifixos pertencentes um à Caixa e outro a nós funcionários que o adquirimos, ao faxineiro. Batemos o pé, discutimos e tiveram que trazer até psicólogos para se reunir com todos os funcionários e o tal gerente para tentar amenizar os ânimos exaltados de todos. é um absurdo!
    Abraços em Cristo,
    Valdivino José Alves - vja@oi.com.br

    ResponderExcluir
  6. Salve Maria!

    Sim, de uma lado o Estado é laico, mas de outro o povo não é! Vivemos uma democracia, pelo menos achamos que vivemos... enfim, como os Católicos ainda são majoritários, vale o que a maioria decide!

    Como pode um sei lá quem de uma igrejola sei lá qual vir e retirar o Crucifixo de qualquer lugar público??? ABSURDO!

    O que me alegra é que mesmo ainda sendo tímidas as manifestações, percebo que os Católicos não estão tão "tolinhos" e não estão engolindo qualquer lorota e isto é muito bom, graças a Deus!

    pax.
    Giovana.

    ResponderExcluir